Os Impossíveis. O desenho mais rock and roll da televisão


Os Impossíveis, juntamente com Frankenstein Jr., dividiram o mesmo horário na tevê americana e sempre fizeram muito sucesso entre a garotada.  Com um visual moderno para a época, explorando roupas e penteados de grupos de rock como The BeatlesOs Impossíveis mostra as aventuras de três super-heróis que são músicos nas horas vagas.

Coil, o Homem-Mola é o líder do trio. É ele quem recebe as instruções do chefe, que aparece em um mini-televisor instalado na ponta da guitarra. Coil é baixinho, gordinho e possui molas nas pernas e mãos, que aumentam sua mobilidade e alcance.

Já o Homem-Fluido pode transformar seu corpo em qualquer tipo de líquido, facilitando o acesso a locais estratégicos. O curioso é que seu traje de super-herói é uma roupa de mergulho com máscara, inúteis para um ser que se transforma na própria água.

O Multi-Homem passa uma imagem de jovem desligado, com uma franja cobrindo os olhos, mas é ágil e poderoso. Cria várias duplicatas de si mesmo, que desorienta os vilões facilmente. Além disso, “Multi” auxilia o grupo a atravessar pontes e acessar lugares altos. Carrega consigo um escudo com um grande “M” gravado e seu bordão é: “Você pegou todos…menos o original”.

“Vamos nós!” é o famoso grito de guerra do trio, que ao chamado do chefe para deter algum malfeitor, abandona o que estiver fazendo (geralmente um show) e se transforma nos Impossíveis. O palco do grupo vira o Impossicar, o carro-voador que pode até se converter em um barco, van ou submarino.

Entre os vilões da série, destaca-se o Paper-Doll, capaz de passar por baixo de portas como uma folha de papel, e o Beamatron, armado com mortais raios laser. Como diriam os vilões derrotados, “esses Impossíveis são mesmo impossíveis!”.

O desenho, que antes de se chamar Os Impossíveis chamou-se “The Incredibles“, foi exibido na rede norte-americana CBS e virou histórias em quadrinhos no final da década de 60, produzidas pela editora norte-americana “Gold Key”. No Brasil, foram publicadas em 1967 pela editora OCruzeiro e, posteriormente, no almanaque “Heróis da TV” da editora Abril.

Em 1979, a Hanna-Barbera fez uma tentativa de readaptação de Os Impossíveis, com o titulo Os Super-Grobtrotters. Foram 13 episódios produzidos, mostrando aventuras dos Harlem-Globetrotters, o famoso time de basquete dos EUA, marcado pelos fantásticos malabarismos com a bola em jogo. No desenho, eles sempre perdem o primeiro tempo de um jogo contra mal-feitores, mas revertem a situação ao entrarem em quadra como super-heróis. Os Super-Globretrotters são formados pelo Homem-Esfera (uma adaptação de Coil), Multi-Homem, Homem-Fluido, Homem-Espaguete e Variedades. Apesar de alguns heróis terem os mesmos nomes e poderes que Os Impossíveis, não se trata exatamente dos mesmos personagens.

Os Impossíveis

  • Título: (The Impossibles/1966-1967/EUA/Cor).
  • Formato: 36 episódios de 6 minutos.
  • Dublagem: AIC/SP. Gastão Renné [Homem-Mola]; Older Cazarré [Homem-Fluido]; Carlos Alberto Vaccari [Multi-Homem]; Ibrahim Barchini (narrador).

Uma resposta to “Os Impossíveis. O desenho mais rock and roll da televisão”

  1. Fazendo a foto kirlian de uma folha, com o passar do tempo a “aura” percebida nas imagens vai ficando mais fraca.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: