Chico Buarque: Chico


Ser Chico é para poucos e não precisa de muito mais que isso. Ser Chico é canção. É poesia, é sentimento. Ser Chico não é ser o que já se foi antes, mas não é preciso. Chico é eterno e poucos discordam.

Sem um disco inédito desde 2006, o retorno às gravações com esse disco simplesmente chamado de “Chico” traz muito do que ele já foi. Não há novidade em sua fórmula, mas sempre é bom ouvi-lo, seja em novas ou velhas canções.

“Querido diário” é a faixa que abre o álbum e é a que mais se aproxima do Chico que foi Chico. Frases como “hoje topei com alguns conhecidos meus”, “hoje a cidade acordou toda em contramão”, “hoje pensei em ter religião”, nos lembra o Chico em “Cotidiano” e “Construção” e por si só já nos abre um sorriso nos lábios.

A quase blues, quase bossa nova, “Essa pequena” relata a paixão entre uma jovem e um homem mais velho e também nos chama a atenção. É simples e envolvente.

Um destaque do disco é a “Se Eu Soubesse”, que ele divide com a Thais Gulin (mas já havia “emprestado” a música para ela gravar em seu disco) e nos mostra uma boa parceria entre o casal.

Porém, uma das mais belas é a oitava faixa, “Nina”. Porque Chico se dá muito bem com temas comuns, como uma valsa que canta sobre uma menina em Moscou. Ele conhece como ninguém a magia comum da vida. E com isso, sempre nos encanta.

Quase terminando o álbum, “Barafunda” usa um roteiro parecido com o do seu último livro, “Leite derramado”, que trata de um homem velho que confunde suas memórias e tem muito a dizer, numa confusão entre diferenças culturais num mesmo país.

“Sinhá” é a faixa mais longa, que fecha o disco ao lado de João Bosco e relata um pouco do tempo da escravidão. E com uma melodia um pouco diferenciada do restante, nos deixa a sensação de um álbum simples, curto, mas que com certeza será ouvido por muitas vezes ainda. Sempre mais Chico.

Chico

  1. Querido diário
  2. Rubato
  3. Essa pequena
  4. Tipo um baião
  5. Se eu soubesse
  6. Sem você 2
  7. Sou eu
  8. Nina
  9. Barafunda
  10. Sinhá
  • Lançamento: 2011
  • Selo: Biscoito Fino

Escrito por Edi Fortini, da redação TDM.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: