Francis Coppola não faz filmes comerciais


Francis Ford CoppolaO diretor americano Francis Ford Coppola, de 71 anos, veio ao Brasil no início do mês (1/12) para lançar seu filme mais recente, “Tetro” (2009), rodado em Buenos Aires, na Argentina. Trata-se de uma produção independente, paga pelo próprio cineasta, que preserva sua temática favorita, a família, mas vai na contramão do mercado americano, ao ser filmada em preto e branco e num país de língua espanhola.

Cena do filme Tetro de Francis Ford Coppola“A fotografia em preto e branco é uma das formas mais belas de se filmar. É uma maneira poética de buscar realismo”, explicou o cineasta, durante entrevista coletiva realizada na Faculdade Armando Álvares Penteado (FAAP), em São Paulo. Ele já tinha realizado brilhantemente um filme em preto e branco nos anos 80: o cult “O Selvagem da Motocicleta” (1983). Sua filmografia, repleta de clássicos, destaca ainda a trilogia “O Poderoso Chefão” (1972-1990) e “Apocalypse Now” (1979).

No novo filme, o diretor filmou pouquíssimas cenas em cor – de forma curiosa, as que aludem ao passado dos irmãos Tetro (Vincent Gallo, de “Buffalo ’66″) e Bennie (o novato Alden Ehrenreich). A trama narra o acerto entre os dois irmãos, que não se veem há mais de dez anos. Filho de um bem-sucedido maestro, Tetro abandona sua família na Itália, em busca de sua própria identidade e querendo se tornar um escritor longe da figura opressiva do pai. Mas promete para Bennie, o irmão caçula, que um dia voltará para buscá-lo. O mais novo nunca se esquece da promessa e, quando chega à maioridade, parte em busca do irmão, em Buenos Aires. Mas o homem que encontra é uma sombra do jovem que ele lembrava, um homem envelhecido, boêmio e frustrado.

Cena do filme Tetro de Francis Ford Coppola“Sempre tive uma relação afetiva com a América Latina”, contou Coppola, ao explicar sua escolha por filmar na Argentina. “Ando muito interessado pela tradição da ficção latina, na literatura da Argentina, do Chile, do Brasil”, revelou. “Cortázar, Bolaño, Vargas Llosa, Jorge Amado… A grande literatura do século é da América Latina. Pensei que, se viesse para cá, o talento dessas pessoas de alguma forma pudesse me influenciar”.

Sobre a experiência de trabalhar com Vincent Gallo, ator americano considerado “difícil”, que ganhou um prêmio no recente Festival de Veneza, Coppola tratou de desmistificar a lenda. “Penso que essa coisa de ator difícil não existe. Podem dizer que o ator tem problemas com bebida, ou faz exigências no roteiro… Para mim não importa, sei que um ator só quer que se acredite nele e ele sempre poderá contar comigo, conversar quando for preciso”.

Cena do filme Tetro de Francis Ford CoppolaE emendou: “Diziam a mesma coisa de Val Kilmer e está sendo uma ótima experiência trabalhar com ele”, refletiu, referindo-se às filmagens de “Twixt Now and Sunrise”, filme de terror, que será seu próximo lançamento. “Nunca tive problemas com atores ao longo de minha carreira”, garantiu Coppola, que já dirigiu figuras polêmicas como Marlon Brando, Al Pacino, Dennis Hopper e Mickey Rourke.

O diretor também defendeu o cinema de arte e fez pouco caso dos filmes em 3D. “Acho muito entediante ter que usar esses óculos especiais”, ironizou. E se explicou: “Acho espetacular que o cinema mais comercial esteja buscando a tecnologia para ajudar no entretenimento, mas a arte nunca deve ser deixada em segundo plano. Entretenimento é importante, mas o cinema tem que ser divulgador de ideias acima de tudo”, ponderou. “Ultimamente, no cinema comercial, os filmes estão muito semelhantes entre si. E eu gosto de ser surpreendido. Gosto do cinema independente dos irmãos Cohen”, citou.

Cena do filme Tetro de Francis Ford CoppolaPara Coppola, o espaço para experimentações tem diminuído na medida em que aumenta a sede por lucros dos grandes estúdios. Felizmente, ele se tornou auto-suficiente e pode filmar o que quiser. “Fui muito bem-sucedido quando jovem. Mesmo com pouco tempo, sempre procurei trabalhar em roteiros de projetos menores. Não faço filmes comerciais. Por isso, hoje continuo a ter uma carreira de iniciante, de estudante de cinema, graças à indústria do vinho, que permite financiá-la”.

Sim, Coppola é dono de vinícolas na Califórnia e fabrica ainda massas e molhos. É com esse dinheiro que financia seus longas, filmando com baixo orçamento, mas sobre o que quer e do jeito que gosta.

Cena do filme Tetro de Francis Ford Coppola“Sempre invejei muito Ingmar Bergman (‘O Sétimo Selo’) quando ele ficava em sua ilha e fazia filmes sobre o que bem entendesse. É uma satisfação muito grande agora poder fazer algo parecido”, confessa o cineasta. “Todos os meus filmes, de uma certa forma, são pessoais. Quando faço filmes não busco fama, nem dinheiro. O que eu quero são respostas, aprender coisas sobre mim mesmo”. E faz uma brincadeira para exemplificar: “Com a idade, descobri que um dos maiores prazeres da vida é aprender. Se você come muito, fica gordo. Se corre atrás de belas garotas, deixa sua mulher furiosa. Aprender é não só uma alegria, mas faz bem para você”.

O cineasta também explicou porque o tema das relações familiares marca sua filmografia. “As famílias têm problemas e às vezes não conseguimos entendê-los. Eu, por exemplo, tenho um irmão cinco anos mais velho e sempre quis ser como ele. O filme talvez me explicasse isso, já que aprendemos tanto sobre o tema que trabalhamos ou sobre nós mesmos”, disse. Aproveitou o tema para elogiar o trabalho da filha, Sofia (“Encontros e Desencontros” e do inédito “Um Lugar Qualquer”, ganhador do Leão de Ouro em Veneza), ao considerar um dos momentos impactantes de “Tetro”, quando o pai fala para o filho que “só há lugar para um gênio” na família. “A frase não foi dita por mim nem para mim, embora seja muito dolorosa”.

Cena do filme Tetro de Francis Ford CoppolaCoppola finalizou falando como produtor do novo filme do brasileiro Walter Salles, “On The Road”. Revelou que a história está em sua última semana de filmagens no Canadá e Salles está bastante contente com o resultado. “Acho que depois que foi acertado o elenco do filme – e o elenco era algo importante nessa produção – tudo correu bem”.

“Tetro” estreia no Brasil no próxima semana, no dia 10 de dezembro.

 

Chupado do site Pipoca Moderna.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: