O Repolho catarinense


Repolho - Volume 4 [Arte encarte verso]ATENÇÃO: este texto contém spoilers. Se não quiser ficar chocado com algumas declarações não leia.

Esse é o novo disco da banda Repolho. Tudo parece novo, mas tem muita coisa ali dentro que não é. Se fosse lançado por uma grande gravadora provavelmente ia ter uma campanha de marketing dizendo: “músicas novas, raridades ao vivo, releituras em versões impagáveis para velhos sucessos. Mas como é lançado independente, ele tá mais para aqueles encalhes da revista Mad que tinha uma capa nova, mas dentro era a mesma coisa de sempre. Pois bem, o disco novo do Repolho é isso. Tem 4 músicas totalmente novas e vários bônus com outras gravações em versões inéditas para velhos sucessos. Aproveito e aviso que a gente não aceita os bônus de volta.

Repolho - Volume 4 [Arte encarte frente]O lado A do disco (que só tem um lado) é formado por quatro músicas novas (que poderia ser um single, mas não é). E quem tocou baixo nesse repertório foi o Gabriel Bubu (doAmor e Los Hermanos). Baixista novo? Alguém pode perguntar, e a gente responde, os baixistas do Repolho sempre são novos e parecem ter prazo de validade curto, o que faz com que os discos do Repolho sejam gravados por baixistas diferentes: O primeiro (Vol. 1) foi gravado pelo Girino que era o baixista do que poderia ser considerado a versão clássica da banda; o segundo (Vol. 2) pelo Frank Jorge (da Graforréia Xilarmônica); o terceiro (Vol. 3) pelo Michel Marcon (dos Red Tomatoes); o compacto temático em vinil (intitulado Sorria Meu Bem) o baixo é tocado pelo Carlo Pianta (primeiro baixista do De Falla); e o próximo provavelmente vai ser gravado pelo Marcelo Mendes que é o baixista atual da banda (isso se ele se comportar bem). No disco, ainda, o Mendes faz pequenas participações (um vocal na “Paz na Xexênia” e um segundo violão nas músicas gravadas pra MTV).

A grande novidade do disco e que talvez não seja tão grande assim é que esse disco marca a volta do baterista da formação original Anderson Birde. Na verdade ele processou a banda alegando que ele havia sido expulso. E ganhou a causa. Como a gente não tinha dinheiro pra pagar as despesas readmitimos ele na banda como pagamento. E ele voltou bem faceiro que nem pinto no lixo. Traduzindo para o idioma local: pinto no abatedouro.

Repolho - Volume 4 [Arte mídia]O disco foi gravado em Porto Alegre no estúdio Fuinha Feliz (agora Estúdio LKR). Uma parceria com Osmarmottas, grande banda portoalegrense que toca em algumas faixas do disco e foram os responsáveis pela gravação e mixagem. A produção ficou a cargo da própria banda e a masterização ficou por conta do Thomas Dreher.

Além disso tudo que eu já comentei acima. Tem participações de muita gente bacana que fez e faz parte da história da banda.

Repolho – Vol. 4

  1. Benga em Liverpool.
  2. Meu bem Talvez Seja a Última História de Amor.
  3. Paz na Xexênia.
  4. Novembro Chuva.
  5. Carla Fernanda (ao vivo MTV).
  6. Lover Caos (versão fita cassete s/overdubs ou qualquer tipo de efeito).
  7. Abel e Cain (Versão Vol. 1).
  8. Charme de Cachorro (ao vivo MTV).
  9. Juvenal (Acapela ao vivo).
  10. Lilico Horse Flat (ao vivo c/bacon).
  11. Buca Chica Buca.
  12. Visita (versão Campo e Lavôra).
  13. Bulinando o Travesseiro (versão Chapô a Galeria).
  14. Bilú Tetéia (versão Horta da Alegria).
  15. Cimirely Banger (versão Horta da Alegria).
  16. Satânica (the new version).

Este disco não contém nenhum dispositivo contra cópias, e está disponível para download. Não compre CD original, pode ser pirata! Compre direto o pirata, dificilmente será original!

Quem toca baixo neste disco é o Gabriel Bubu (banda DoAmor).

Produzido pela banda Repolho.

Gravado nos estúdios Fuinha Feliz em Porto Alegre (julho de 2007).

Masterizado por Thomas Dreher.

Participações especiais: Os Marmotas de uma forma geral, mas de uma forma específica: Ricardo Panéla e Wagner Lagemann  (Vocais), Fabrício Gambogi (Piano e Tecladinho de brinquedo); Otávio Assis Brasil (Acordeon – Gaita); Gabriela Vilanova (Violino e Viola); Eric Thomas (Louro José, galinhas acústicas e palpites em geral).

Versões acústicas gravadas para MTV numa espécie de Repolho acústico ou quase isso.

Fotos: Roberto Panarotto.

Diagramação: Marcus Comparin (Estúdio Alice).

As mais diversas intervenções diversas foram sampleadas dos mais diversos tipos de referências diversas que compreendem o afinadíssimo universo particular da (marisa monte) banda Repolho.

Composição: Benga em Liverpool (Demétrio Panarotto e Marcelo Birck); Meu Bem Talvez Seja a Última História de Amor (Demétrio Panarotto e Marcelo Birck); Paz na Xexênia (Banda Repolho: Demétrio, Roberto, Birde e Girino); Novembro Chuva (Demétrio Panarotto e Eric Thomas).

Links dos Repolho

Fonte: banda Repolho.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: