Nixon e Watergate 36 anos depois


NixonCaso Watergate, uma das mais incisivas investigações feita em torno do envolvimento de um presidente em planos de espionagem, lavagem de dinheiro, invasão e obstrução de documentos, tendo o nome do presidente americano do Partido Republicano Richard Milhous Nixon.

O fato aconteceu em 1972 bem próximo a reeleição do presidente Nixon onde venceu o candidato George McGovern, quando em uma noite cinco homens foram flagrados dentro do andar onde se encontrava uma sede do Partido Democrata (opositor a Nixon), continham com eles câmeras, grampos e máquinas fotográficas e documentos. O caso foi a júri e obteve a descoberta do envolvimento dos cinco envolvidos de estarem ligados a escalões da CIA e FBI onde chamou a atenção do Washington Post, sendo representado por dois jornalistas novatos ainda, Bob Woodward e Carl Bernstein.

NixonAs denúncias eram quase nulas, ninguém ousava falar, mas tudo levava aos envolvidos que invadiram o local a estarem inteiramente ligados a Casa Branca, e por trás de tudo corria um forte esquema de pagamentos indevidos não contabilizados para membros do comitê de reeleição do Presidente Republicano. Os dois jornalistas contavam com a participação e apoio de um membro do FBI que não se pronunciava publicamente, apenas na clandestinidade, se encontrava com Bob Woodward para lhe confirmar informações sobre o esquema sujo que corria pelos corredores do poder legislativo americano, o sujeito ficou conhecido como “Garganta Profunda”, e só em 2005 já chefe de assuntos especiais revelou sua identidade na qual os dois jornalistas confirmaram.

O caso condenou vários membros do gabinete de Nixon junto com os invasores do prédio, e levou a renúncia do Presidente, sendo substituído por Gerald Ford, seu vice, que lhe concede o perdão e descarta a condenação e julgamento de Nixon perante a Justiça Americana. Nixon foi um dos governos mais agitados perante a história americana, foi vice do presidente Eisenhower, se candidatou em 1960 contra o Democrata John Kennedy onde perde nas eleições, com a morte do democrata assume o país Lyndon Johnson que manda os EUA direto para o Vietnã.

Nixon e ElvisNixon vence em 1968 após o assassinato do opositor e irmão de John Kennedy, Robert Kennedy e vence Hubert Humphrey nas eleições, ficou conhecido através de seu governo também pelos conciliamentos na União Soviética de Brejnev e na China com o próprio Mao Tse-Tung, e também pela retirada dos americanos do Vietnã do Norte. Teve um governo firme com a baixa de gastos públicos controlando a inflação, mas ficou conhecido obviamente pelo escândalo no complexo Watergate.

Não houve provas concretas sobre o envolvimento do próprio presidente no mando dos crimes, apenas foram destituídos seus assessores e os envolvidos no flagrante, e Nixon ainda teve direito ao arquivamento de denúncias feitas contra ele e ainda o direito sobre as fitas com todas as conversas que fazia diretamente de dentro de seu gabinete, sendo elas nunca reveladas até hoje.

No filme “Nixon” de Oliver Stone, é feito uma presunção sobre o acobertamento do presidente com suas fitas e vários outros tipos de conspiração que levavam a Casa Branca a ser suspeita. Outro filme também que eleva a fundamentação do caso é “Todos os Homens do Presidente”, de Alan J. Pakula, que transcorre sobre a empreitada dos dois jornalista do Washington Post em desvendar o caso.

Realmente os anos 70 foram os mais movimentados da história americana, além dos excessos do Vietnã, havia a enxaqueca do final dos anos 60, a contestação da população contra Nixon, principalmente da oposição, a relevância das drogas, influências de Woodstock, “Las Vegas” em propulsão, a comoção perante aos irmãos “Kennedys” assassinados, o caso “Lee Oswald”, a contracultura, a revolução cinematográfica, o jornalismo efusivo, o homem na lua com o projeto “Apollo” da Nasa e outros aspectos tendo principalmente o começo da capitalização do mundo, com a baixa do socialismo.

NixonAlém dos escândalos Nixon sempre teve envolvimentos suspeitos com advogados, empresários, partidários de outros estados americanos,  J. Edgar Hoover chefe do FBI, e todo um círculo de más influências. Recentemente liberado parte dos documentos de seu mandato, foi destacado o envolvimento de Nixon na intervenção americana sobre as regências de Salvador Allende, regente do Chile em 1971, e de Fidel Castro. Segundo o documento Nixon havia se reunido na sala da Casa Branca com o presidente brasileiro Médici para discutir sobre a permanência de “esquerdistas liberais” nas Américas, e pelo que fica estabelecido Nixon oferece apoio total a Médici para determinar o controle contra rebeldes e liberais, tanto que depois em 1973, Pinochet assume o Chile através de um golpe militar que resulta no assassinato de Allende, onde segundo o documento teve apoio da CIA e também do governo brasileiro sobre a regência de Emílio Médici. O documento foi publicado na internet pelo Acervo Nacional Americano e postado no site G1.

O presidente republicano eclodiu em um aprimoramento do povo americano para com o seu governo, que até os dias de hoje se mostram mais contundente em opinar sobre política, ocasionado pelo ceticismo e descrença que foi provocada pela era Nixon. Especialistas afirmam que muito de seu governo pode ainda ser visto dentro da Casa Branca, e comparam com o governo de George W. Bush, pois grande parte do grupo que formou a campanha de Bush ao governo vinha se criando desde os tempos de Nixon no poder, e a influência de sua regência eclodiu nos republicanos até hoje. Foi fato que depois de seu mandato, com o Impeachment, sendo o único presidente americano até hoje a fazê-lo, a população recorreu nas eleições seguintes a um presidente religiosos e democrata pela referência que Nixon foi, e então Jimmy Carter assumiu o país pelo partido democrata.

Nixon é sempre lembrado na cultura popular como o símbolo do mentiroso, o criminoso que se utiliza da política, é a caricatura do presidente desonesto. Até o fim de sua vida escreveu diversos livros sobre sua vida pública, morreu em 1994 e foi velado na presença de outros quatro presidentes, não obteve a condenação e nem julgamento, mas representou de certa forma a vergonha legislativa de seu país, tanto que a população anos depois ainda continha raiva e protestos contra o presidente.

No Brasil não é muito diferente. A desonestidade entre políticos até faz parte do nosso folclore já, e por aqui já tivemos também nossos Nixon’s, mas a população por aqui cai em esquecimento rápido sobre seus políticos, é uma anistia interna de cada pessoa, mas com exemplos como esse, podemos revigorar nossa atitude perante a opinião pública. Nixon se foi há muito tempo já, mas seu governo serve de exemplo que sempre temos que cuidar com nossos regentes, principalmente em anos de eleição!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: