Pecado da Carne mostra aflição homossexual entre judeus


Pecado da Carne mostra aflição homossexual entre judeus

Considerando o aumento (em quantidade e qualidade) das produções com temática gay desde o final da década de 90, pode-se afirmar que o mercado cinematográfico está em paz com o tema, que saiu do armário das exibições restritas a festivais e mostras para a evidência das salas dos multiplexes.

Mas depois de um longo período de abordagem da descoberta e aceitação da sexualidade “Delicada Atração”, “Saindo do Armário”, “Truques da Paquera” e de uma leva de dramas sobre a realidade dos rapazes da chamada Geração G “Regras da Atração”, “The Bubble”, “O Clube dos Corações Partidos”, os roteiristas e produtores descobriram que ainda podiam polemizar com um novo nicho fascinante e perigoso: a inversão de estereótipos.

Pecado da Carne mostra aflição homossexual entre judeusFiguras tidas como padrão de virilidade masculina começaram a ter sua homossexualidade exposta, revertendo conceitos e abrindo mentes. Cowboys “Brokeback Mountain”, serial killers “Hellbent”, samurais “Tabu”, surfistas “De Repente, Califórnia”, atletas “Idas e Vindas Do Amor”, religiosos “O Padre”, bandidos “Plata Quemada” e soldados “Delicada Relação” ao lado de personagens biográficos “Milk”, “Capote” ajudaram a fortalecer uma tendência que, ao que tudo indica, permanecerá por um bom tempo.

É baseado neste filão que chega agora ao Brasil – após uma festejada passagem por Cannes – o filme “Pecado da Carne”, do diretor israelense Haim Tabakman.

O longa retrata o envolvimento afetivo entre dois judeus ortodoxos – um rapaz de conduta errante e um comerciante pai de família. A abordagem concisa de um tema tão delicado rendeu uma obra estranhamente bela.

Pecado da Carne mostra aflição homossexual entre judeusO respeito às tradições judaicas e o comprometimento com a religiosidade severa praticada pelos personagens cria uma redoma (frágil? Rígida?) entre os protagonistas. Por conta disso, eles se vêem diante de um embate moral que vai muito além das questões sociais e familiares. Os rituais, as orações e o comprometimento com os ensinamentos da Torá aumentam a barreira entre estes dois homens, intensificando assim seus conflitos internos.

O roteiro é simples: Aaron (Zohar Straus) é açougueiro, marido exemplar e pai dedicado de quatro filhos que leva uma vida tranquila em Jerusalém. Seu aparente equilíbrio muda com a chegada do jovem Ezri (Ran Danker), que, sem trabalho nem lugar para morar, pede-lhe abrigo e se torna uma espécie de aprendiz do comerciante. A amizade evolui para algo mais forte e inevitavelmente perigoso. Enquanto Ezri tem consciência de sua condição (ele chega à cidade em busca de um ex namorado) para Aaron é um mundo novo que surge. A história se desenvolve a partir deste processo de aceitação, escolhas e adequação dos sentimentos entre os dois, culminando, claro, em suas consequências.

“Pecado da Carne” é um filme interessante e tem seus pontos altos na fotografia e trilha sonora. Para quem não está habituado aos conceitos e tradições judaicas, muitas cenas não terão seu sentido totalmente assimilado – são muitos os rituais e termos específicos daquela cultura exibidos sem explicações didáticas, podendo tornar o filme cansativo em determinadas passagens.

Pecado da Carne mostra aflição homossexual entre judeusQuem assistiu a “Segredos Íntimos”, o equivalente feminino a este filme (exibido por aqui em 2009), pode ter uma visão melhor deste lado religioso e absorver mais facilmente as questões confrontadas. “Pecado” causa curiosidade pelo tema corajosamente abordado – é sabido que o rigor da religião judaica não permite sequer que se fale abertamente sobre homossexualidade – mas pode não agradar completamente o espectador em busca de algo mais romântico. Quem, porém, abrir-se à sensibilidade do drama pode se surpreender com o quão belo e triste esta obra se revela.

Assista uma prévia do filme em http://pipocamoderna.virgula.uol.com.br/?p=22414.

Escrito por Fabricio Ataíde. Fabriccio come, bebe e respira cinema. Fisioterapeuta por formação, bancário por necessidade, escritor por hobby e cinéfilo por vocação, assiste praticamente a todos os filmes que estreiam em circuito (inclusive os assumidamente ruins), vai estudar cinema (um dia) e dirigir um curta (outro dia). Mora em São Paulo e passa mais tempo nos cinemas da região da Paulista que na sua própria casa.

2 Respostas to “Pecado da Carne mostra aflição homossexual entre judeus”

  1. NÃO É FACIL!!!! SÓ QUEM PASSA POR ISSO SABE O QUE É

  2. rapahel piro de armas Says:

    adorei as especificações do Fabricio…kkkkkkkkmuitas opções …esperoq ue consiga algumas dela

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: