Na semana do rock, conheça o clube mais rock n’ roll do mundo


St. Pauli

St. Pauli, time da primeira divisão da Alemanha

St. Pauli, time da primeira divisão da Alemanha, é conhecido pela associação de sua torcida com o Rock e garantiu acesso à primeira divisão alemã neste ano.

Na terça-feira (13 de março), quando é comemorado o dia mundial do Rock, que tal seria entrar em um estádio para assistir a uma partida de futebol ao som de “Hells Bells”, música da banda de rock australiana “AC/DC”? Ou então comemorar um gol cantando “Song 2”, da banda inglesa “Blur”, um dos ícones do BritPop?

Se para você isso é muito “Rock n’ Roll”, essas coisas são normais para os torcedores do St. Pauli, time recém promovido à primeira divisão da Alemanha. O clube foi fundado em 1910 na zona portuária de Hamburgo, região conhecida por ter uma vida noturna agitada e por ser uma reconhecida zona de prostituição. Apesar de ser um clube antigo, ele só ganhou fama nos anos 80, quando começou a se aproveitar de sua identidade com o Rock n’ Roll, criando uma verdadeiro atmosfera de show de Rock em suas partidas. Nessa época, os torcedores do clube começaram a utilizar a caveira e os ossos como seu símbolo oficial, o que rendeu ao clube o apelido de “Bucaneiro da Liga”.

Os torcedores do time mais Rock n’ Roll do mundo são conhecidos por sua tendência política de esquerda. O clube foi o primeiro da Alemanha a proibir manifestações nazistas em sua torcida, tendo colocado inclusive em seu estatuto sua posição anti-racista, anti-facista, anti-sexista e anti-homofóbica, o que acabou atraindo a simpatia de diversos grupos do movimento punk pelo mundo. Várias bandas já se apresentaram usando a camisa marrom e branca do time. A banda americana “Bad Religion”, por exemplo, fez um show em uma partida beneficente da equipe no ano 2000.

Além de tocar rock antes das partidas e depois de marcar gols, o clube tem outras atitudes que também podem ser consideradas “Rock n’ Roll”. A equipe tem a tradição de participar na sua pré-temporada do festival de Heavy Metal “Wacken Open Air”, no norte da Alemanha. O clube sediou em 2006 uma “Copa do Mundo independente”, com a participação de seleções de países não reconhecidos pela Fifa como Groelândia, Gibraltar, Zanzibar e Tibet. Além disso, o clube é o primeiro a ter um presidente abertamente homossexual, Corny Littmann, que também é um reconhecido empresário de teatro alemão.

Por tudo isso, o St. Pauli é um dos clubes com maior torcida na Alemanha. Mesmo estando há oito anos longe da primeira divisão, os torcedores lotam em quase todos os jogos os 20 mil lugares do Estádio Millerntor, para assistir um verdadeiro show de bola.

Com a palavra Benjamin Back, colunista do Lance! e fã de Rock

O futebol e o Rock tem muito em comum. Os dois mexem muito forte com a emoção dos fãs. Além disso, do mesmo jeito que você tem ídolos no futebol você tem no rock. O Pelé já não joga há um tempão, mas até hoje falam dele. Ver os lances do Pelé é a mesma coisa que ouvir um disco do “Led Zeppelin”, dos “Rolling Stones” ou dos “Beatles”, que são considerados gênios da música até hoje. A grande diferença entre o Rock e o futebol, para mim, é que o Rock não te decepciona. Quando você vai em um show você sabe que você vai sair satisfeito, mas no futebol, se seu time perde, isso não acontece.

Escrito por Tiago Ribas, São Paulo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: