G.B.H. Perfume and Piss


G.B.H.

Ao ouvir um álbum como o novo trabalho do GBH – ou Charged GBH, se preferirem – me dá até vontade de rir ao lembrar do tipo de som que muitos chamam atualmente de Punk Rock e até mesmo de Hardcore, que naturalmente é algo muito mais porrada. É uma discrepância sem tamanho de causar vergonha alheia.

Mas para salvar temos o velho e verdadeiro Punk Rock em “Perfume and Piss”, o 11º disco de estúdio da carreira dos ingleses do GBH. Talvez um fã mais das antigas ache que o disco tem algumas partes menos agressivas do que se poderia imaginar. Provavelmente boa parte desse lado vem da produção de Lars Frederiksen, guitarrista e vocalista do Rancid.

Falando efetivamente do disco, “Perfume and Piss”, além do título singelo, traz 13 faixas curtas e diretas que somam pouco mais de 39 minutos de duração. O que é mais interessante no disco é o fato da banda conseguir criar algumas músicas com características distintas sem perder a identidade.

Unique”, que abre o disco, é uma das mais agressivas do disco. Cheia de energia e bem propícia para uma grande roda de pogo. O ritmo continua forte em “Kids Get Down”, ainda que essa seja um pouco mais melódica. Ah, por favor, não interprete errado essa palavra aqui.

A mudança de estilo vem com “Cadillac One”, com uma levada mais cadenciada e fortemente influenciada por Psychobilly. “San Jose Wind” tem uma pegada mais clássica e também diversificada.

Outro destaque positivo é “Power Corrupts”, com a mesma energia do início do disco. Mas tem algumas músicas que acendem um sinal de alerta. “Politoxic” é um tanto preocupante. A música alterna momentos ‘modernosos’ demais, com um riffizinho bem estranho.

Perfume and Piss” não é um clássico do estilo, mas também não é um disco ruim. Merece a atenção de quem gosta de música punk.

Fonte: Eduardo Guimarães, da redação TDM – http://territorio.terra.com.br/rockonline/resenhas/?c=3266.

Uma resposta to “G.B.H. Perfume and Piss”

  1. thiago naga Says:

    É sempre interessante o trabalhos das bandas punks antigas, principalmente o GBH, hoje em dia em tempos de punk pop feito para garotinhas em pré mestruação, o GBH é um identificador do que é o punk e o que ele ainda pode ser dentro do cenário underground, e então podemos realmente exaltar que os Punk´s, os verdadeiros senhores do estilo, não morreram!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: